Resenha: Filhos do Éden: Herdeiros de Atlântida

,Hey!

Hoje irei comentar sobre o primeiro livro da trilogia filhos do Éden do autor Eduardo Spohr, só para compreenderem melhor esse trilogia não é continuação do famoso ABDA, logo não é necessário lê-lo para iniciar a trilogia (apesar de que eu ache que vale a pena, principalmente para acompanhar a evolução do autor.)

Título: Filhos do Éden: Herdeiros de Atlântida
Autor: Eduardo Spohr
Páginas: 476
Editora: Verus Editora
Assunto: Nacional – Ficção Fantasiosa
Classificação: 5/5

Há uma guerra no céu. O confronto civil entre o arcanjo Miguel e as tropas revolucionárias de seu irmão, Gabriel, devasta as sete camadas do paraíso. Com as legiões divididas, as fortalezas sitiadas, os generais estabeleceram um armistício na terra, uma trégua frágil e delicada, que pode desmoronar a qualquer instante. Enquanto os querubins se enfrentam num embate de sangue e espadas, dois anjos são enviados ao mundo físico com a tarefa de resgatar Kaira, uma capitã dos exércitos rebeldes, desaparecida enquanto investigava uma suposta violação do tratado. A missão revelará as tramas de uma conspiração milenar, um plano que, se concluído, reverterá o equilíbrio de forças no céu e ameaçará toda vida humana na terra. Ao lado de Denyel, um ex-espião em busca de anistia, os celestiais partirão em uma jornada através de cidades, selvas e mares, enfrentarão demônios e deuses, numa trilha que os levará às ruínas da maior nação terrena anterior ao dilúvio – o reino perdido de Atlântida.


 

FdE –  Herdeiros de Atlântida – Nesta nova empreitada somos apresentados a Kaira, capitã dos exércitos de Gabriel ela é uma ishim da província do fogo (anjo), conhecida também por centelha divina. Veio á terra para cumprir uma missão e não retornou. Sendo assim, Gabriel enviou dois anjos para resgata-la: Levih – Um ofanim que caminha pela terra ajudando os humanos e Urakin –Um guerreiro obstinado e forte. Ambos partem em busca da centelha divina, porém quando a encontram ela não se lembra que é uma ishim e diz ser uma humana chamada Rachel, os anjos tentam convencê-la sem muito sucesso.

Atribulada a garota resolve ir a antiga casa que era de seus pais e chegando lá descobre que eles morreram após um incêndio, pelo forte sentimento que isso lhe causou ela expande uma áurea e fogo sai de suas mãos sem a queimar, assustada tem a assistência dos anjos que a acalmam e posteriormente a protegem de ataques de raptores – demônios que um dia foram humanos e caçam anjos para subir de casta no inferno –  e de Yaga uma hashmalim que segue as ordens de Andril (um dos arcontes de Miguel).

Mas mesmo com a proteção dos anjos Kaira é atingida por uma bala no peito (única forma de matar um anjo, mais precisamente no coração). Como ela não se lembra se como utilizar seus poderes angélicos para se curar, Levih em uma atitude desesperada a leva até Danyel, um querubim exilado, para a salvar, que aceita o trabalho em troca de anistia para lutar ao lado de Gabriel.

Em meio a muitas aventuras que vão de cavernas e santuários na amazonas á antiga atlântica aos poucos descobrem qual era a missão e o porquê de Rachel não de lembrar de sua vida como anjo, e agora os quatro (sim Danyel se juntou a equipe), continuam a missão que havia sido interrompida.

Imagem retirada do site JovemNerd

Achei este livro mais fluído que o primeiro e a história mais consistente, com personagens mais humanos. Adorei a leitura e a forma como o autor se preocupou em explicar os eventos no livro – que para mim não ficou nem um pouco cansativo. Gostei também do apêndice e do glossário, que estão bem ricos tirando qualquer dúvida que ficou da “mitologia Spohriana” kkkk. Mas na verdade as informações estão tão bem colocadas durante a leitura e não precisei utiliza-los, só os li por curiosidade mesmo.

Devo dizer que o livro me deixou  com a música abaixo na cabeça, ela é realmente perfeita para nossos personagens (Danyel e Kaira).

Anúncios

Sobre Luh Alves

"Luana Alves – 21 anos, mineira, aquariana inconstante e apaixonada pela vida, viciada em livros e louca por séries."
Esse post foi publicado em resenhas e marcado , , , , , . Guardar link permanente.

16 respostas para Resenha: Filhos do Éden: Herdeiros de Atlântida

  1. Cara, já vi esse livro várias vezes em estantes de livrarias e bienais, mas ainda não tinha despertado a curiosidade. pronto: agora sim, hehe
    Adorei vc ter colocado a música no final, às vezes eu tb relaciono livros com musicas
    Bjs

    Curtido por 1 pessoa

  2. Isabella Cas disse:

    Oi oi
    passando pra contar que indiquei o blog de vcs para responder uma tag!
    https://isabellacas.wordpress.com/2016/07/15/tag-scarlet-moon-blogger-award/

    Um beijo

    Curtido por 1 pessoa

  3. Vick Santos disse:

    Corre no meu Blog que te indiquei o prêmio Dardos, fica com Deus, um milhão de beijinhos!
    https://coracaoigualaoteu.wordpress.com/2016/06/20/premio-dardos-e-tag-7-pecados-capitais-literarios/

    Curtir

  4. gageier disse:

    Liebe Luh hab einen sonnigen Mittwoch und danke für deinen Besuch hab einen sonnigen glücklichen Mittwoch und viele Grüße Klaus bleib froh und heiter dann ist das Leben leichter

    Curtido por 1 pessoa

  5. Carol Rezende disse:

    Nossa jurava que ABDA era o livro 3 dessa trilogia, super por fora kkk Mas com a suas resenhas deu pra entender tudinho agora rsrs

    Curtido por 1 pessoa

Deixe seu comentário e sera respondido...

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s