Um dia Feliz…

Olá pessoal!

Pensaram que eu não iria voltar, né? 🙂

Mas estou de volta (mesmo que demore um pouco) ainda vou conseguir organizar minha rotina RS.

Enfim, o texto de hoje será sobre um dia qualquer que fiquei com vontade de compartilhar. Então, nãome culpe se no final sentir que foi perda de tempo…

Era uma segunda feira como todas as outras, talvez um pouco pior porque era pós feriado e por mais incrível que pareça acordei disposta, com uma vibe super boa. Fiz a melhor make para ir ao trabalho, subi no salto e passei o dia distribuindo sorrisos. Pensei que minha empolgação sem motivos era por ter passado o fim de semana com velhos amigos que não encontrava há um tempo, o que foi legal, mas confesso que até eu estava estranhado minha disposição.

O dia passou e nada demais aconteceu, cheguei em casa me joguei no sofá e fui zapear um pouco, e de repente recebo algo que não consigo acreditar: não era scraps da minha tia, nem textão no grupo, muito menos imagens de homens sarados das amigas.

Isso mesmo o crush me chamou!!! E eu nunca havia dado um sinal que estava afim dele (eu acho). Na verdade eu não sabia nem seu nome, só achava ele lindinho. A grande interrogação é que não tenho ideia de como ele conseguiu meu número (talvez fosse o universo conspirando ao meu favor).

Nessa hora abri meu melhor sorriso apaixonado (analisando agora é um hábito muito estranho sorrir para um celular) e respondi OIII, isso mesmo, em CAPS LOCK e com três Is (não me julguem). Agradeci ao meu anjo da guarda, estava explicada minha sensação de alegria: aquele era o meu dia. XD

Na conversa fui mais simpática que o normal e conversamos muito tempo e sobre muitas coisas. O melhor é que não foi aquele clichê, tipo entrevista de emprego, não!! Ficamos trocando músicas, memes, no meio eu enviava algumas indiretas. Só esperando ele dizer que sempre foi afim de mim!!!! Por dentro eu pensava: Agora vai, é Hoje!

Mas ele não falava nada e eu meio que fui ficando curiosa e o sono já estava batendo, afinal era tarde e eu tinha que trabalhar no dia seguinte. Então me despedi e ele não deu nem sinal que iria revelar o motivo de estar conversar comigo, acabei não resistindo e perguntei:
– Sinceramente, estou curiosa para saber por que me chamou.

Ele
– Há queria fazer um pergunta, mas sei lá.

Eu
– (Por dentro: Siiim, eu aceito! Podemos sair) Pode perguntar.

Ele
– Depois te falo.

Eu
– Há não! Nem vou dormi de curiosidade.

Ele
– Não é nada demais..

Final do diálogo:

Ele
– Sabe aql menina que anda com vc? Então…

Eu
– <Chocada> O q tem

Ele
– É que e queria o número dela.

Que ?? Ele estava me usando de escada para conversar com minha amiga! 😤Desaforo!! Na hora sumi do app e não respondi, minha vontade foi bloqueá-lo. Afinal, não sou obrigada. Fui dormir, indignada porque perdi horas de descanso com isso.

No dia seguinte eu acordei cansada e querendo matar o mundo…

Compartilhei essa história porque dela tirei algumas lições:

1 – Um dia bom, às vezes é só um dia bom.

2 – Não criem expectativas

3 – Sempre que puder o crush te fará de trouxa, mesmo sem saber.

Enfim, é isso pessoal a vida real não é Hollywood. E vcs já passaram por algo parecido? Se sim me contem vou adorar saber.

Pelo menos no fim ficam as lições, né?

Publicado em Reflexões | 15 Comentários

Por onde anda essa tal felicidade?

Após meses sem postar e com uma saudade apertando em meu peito, agora estou de volta e desta vez não irei sumir!!! Esse bloguizinho me faz tão bem que vocês nem imaginam…


 

Durante muito tempo me perguntei: – Por onde anda essa tal felicidade, que tanto cantam por aí? E confesso  que a procurei em vão nos lugares mais improváveis e ás vezes de formas  malucas. E por não encontra-la durante um período acreditei que de fato “essa tal felicidade” não existia. Queria senti-la plenamente, para sempre como os mocinhos no fim das novelas e livros, mas nunca dava certo, esse “the end” perfeito não chegava e me perguntava o porquê. Ás vezes pensava que estava contente, mas logo acontecia algo que acabava com aquela sensação.

Não queria ser alegre por um momento, mas todos os dias. Sentia que sempre faltava algo e em momentos que algumas pessoas ficariam alegres eu me comportava indiferente. Foi então que percebi que muitas vezes o erro estava em mim, procurava por algo que estava o tempo todo nas minhas mãos.

Depois de refletir cheguei à conclusão que ser feliz é uma escolha. Por mais que alcance todas as metas que estipulei que me deixariam alegre, se não estiver bem comigo, aquilo não será suficiente.

Outra observação que fiz foi que a felicidade não está nas coisas, nas pessoas, ou mesmo em objetivos traçados. Ela depende única e exclusivamente de cada um, ela está na forma como olhamos o mundo, nas frases que falamos durante o dia, na satisfação que sentimos ao fazer algo que gostamos.

Ela se resume nos momentos que sentimos que a vida vale a pena, momentos que não pensamos em nada, aqueles que estamos tão tranquilos que o tempo poderia parar ali e estaria tudo certo. Esses momentos não são programados, eles acontecem e só percebemos quando já passaram.

Ser feliz o tempo todo é algo impossível e essa é a graça de viver, estar cada dia de uma forma. Conseguir se tornar várias versões de si mesmo, entender que até as lágrimas tem seu encanto. E que cada coisa tem seu tempo, a vida é assim. Não é porque não esta o tempo todo sorrindo que não é feliz, existe contentamento no silêncio, existe tranquilidade após a tribulação. Devemos aceitar que tudo na vida pode acontecer e que navegamos em um mar de sentimentos, resta deixar ele nos levar e não se importar tanto se por agora o mar não está calmo, uma hora a agitação vai passar.

Agora uma musiquinha para todos que acompanham o L&V: “Felicidade é viver na sua companhia…”

 

 

 

Publicado em Reflexões | 24 Comentários

A improvável jornada de Harold Fry

Metas de Leitura – Janeiro

AIJHFTítulo: A improvável jornada de Harold Fy
Autor: Rachel Joyce
Páginas: 248
Editora: Suma de Letras
Gênero: Romance Literatura Estrangeira
Classificação: 3,5 / 5,0
Sinopse: 
Quando Harold Fry saiu de casa em uma manha de sol para colocar uma carta no correio, ele não imaginava que estava começando uma jornada inesperada até o outro lado da Inglaterra. O senhor aposentado decidiu de repente que ia caminhar até a casa de saúde onde uma velha amiga sofria o estagio terminal do câncer.
Harold não levava mapa, bússola, capa de chuva ou celular. Nem mesmo um sapato adequado. Tudo que ele tem é a certeza de que precisa continuar andando.
Para salvar uma vida.

 

_62

Harold é um senhor de 65 anos, casado com Maureen e pai de David. Aposentado, vivendo na singela cidade de Kingsbridge na Inglaterra. Um dia, Harold recebe uma carta, de uma amiga de anos Queenie, uma carta de despedida, na qual ela informa que esta com câncer. Harold ainda abalado com a notícia, escreve uma carta e se encaminha a caixa de correio ao final da rua, mas, o dia estava tao lindo e ele não tinha nada o que fazer, á não ser cortar a grama do jardim, então Harold começa a ir cada vez mais longe, de caixa em caixa de correio passadas ele conhece uma atendente, que o ensina uma lição de fé, esperança, motivação e a esquentar seu próprio sanduíche de queijo.

Harold decide ir de Kingsbridge até Benwick do outro lado do país para encontrar Queenie, só um detalhe, apé, sem celular, mapa ou um tênis adequado.

“A parte menos planejada da jornada, entretanto, era a jornada em si mesma. Ele só soube que ia viajar quando a viajem começou.”

AIJHF3

Harold carregava consigo somente uma certeza, salvar a vida de Queenie.

 

Harold carregava consigo somente uma certeza, salvar a vida de Queenie.
Ao longo de sua caminhada Harold conhece várias pessoas pelas cidades em que passa, cada uma com sua história e lição de vida a dar.

“As pessoas estavam comprando leite, enchendo seus tanques de gasolina ou até mesmo postando cartas. E o que ninguém mais sabia era o peso estarrecedor que cada um trazia por entro.”

Durante á caminhada Harold vai lembrando do passado e nos revelando como foi sua infância, casamento e filho. A cada volta ao passado é uma revelação diferente e importante, o livro é extremamente reflexivo.

AIJHF2

 

“O esforço as vezes sobre-humano para ser normal e fazer parte das coisas que pareciam fáceis e cotidianas. A solidão deste esforço.”

Harold me fez pensar sobre as minhas atitudes cotidianas, sobre os relacionamentos que temos em nosso dia a dia, seja com a mãe, namorado, amigos… Me fez repensar em minha fé (mas não em religião).

Confesso que a princípio me apaixonei pela capa e sinopse, o livro em si é cansativo, mas estimulante.

Se você gosta de uma leitura mais introspectiva e reflexiva ele é uma ótima opção!

Espero que tenham gostado da resenha… Antes tarde do que nunca HAHAHA!!

Beijos da Malu ❤

Publicado em Sem categoria | 17 Comentários

Como curti meu carnaval…

 

E aí meu povo!!

Último dia do carnaval e hoje o post é em grupo sobre como foi minha folia.

Digamos que este ano o feriado se ressumiu aos meus fones, sai poucas vezes não estava com muita paciência para quase nada. Por isso pensei que seria interessante eu fazer uma experiência, coloquei músicas aleatórias e comecei a escrever, bem saiu o que está abaixo. Não diz nada sobre o carnaval, mas como eu me senti curtindo do meu jeito. Não sou de escrever, então não me julguem kkk

Snap-2014-12-02-at-15.35.40

Imagem retirada da internet

Ouço o som, sinto o show
e vejo além do que imagino
meu corpo é transportado para outra dimensão
e isso me fascina.

Sinto um êxtase que nunca senti antes
Livre, leve, flutuo em mim mesma
E não estou sobre o efeito de entorpecentes
Não hoje, não agora.
Escuto vozes
e é como se o mundo se desfizesse em formas multicoloridas.

Essa batida desprograma meu coração
Quero chorar, dormir, gargalhar, voar
Como me conhecem tão bem?

Quero que o show dure eternamente
Sinto algo mágico, quase espiritual
Vou me converter e ir até o infinito com eles
Conhecer os deuses que sussurram minha vida em seus ouvidos

Espero que essa sensação não pare nunca…

É isso, me contem como foi o carnaval de vocês vou adorar saber.

🙂

12191717_10207450342518984_5470877887559865017_n

Publicado em Projeto Existe amor na blogosfera, Reflexões, Vitrolas | 14 Comentários

A química de Breaking Bad

Olá pessoal!!

Depois de muito tempo sem post’s de séries (e têm tantas que quero dividir com vocês…). Hoje trouxe uma das melhores séries da atualidade, a assisti tem um tempinho, mas vale muito a pena compartilhar. Ela têm 5 temporadas e o episódio final foi exibido em 29 de setembro de 2013.

Prêmios: Recebeu inúmeros prêmios, incluindo dezesseis Primetime Emmy Awards, oito Satellite Awards, dois Globos de Ouro e um Prêmio Escolha Popular. Em 2014 entrou para o Livro Guinness dos Recordes como o seriado mais bem avaliado de sempre pela crítica. – Fonte: Wikipédia

breaking-bad-breaking-bad-37307235-1600-900Imagino que a maioria de vocês, pelo menos já escutou falar dela. E se a resposta for negativa, corra e procure: não sabe o que está perdendo!


Breaking bad, se passa em Albuquerque, Novo México e têm como protagonista Walter White (Bryan Cranston) um professor de química do ensino médio. Ele têm um filho adolescente que sofre de paralisia cerebral (RJ Mitte) e uma esposa grávida, Skyler (Anna Gunn). Até então ele é mais um professor desconsiderado pela sociedade, que precisa de complementar a renda para viver. Confesso que na primeira temporada quase desisti da série ele era muito quadrado, certinho e tinha uma vida “normal até demais”.

breakingbad2No entanto, sua vida vira de ponta cabeça ao ser diagnosticado com câncer de pulmão avançado. A partir deste momento White começa a pensar em uma forma de pagar seu tratamento e de como deixar sua esposa e filhos com uma vida melhor. O químico têm o “start” em um passeio com o seu cunhado e amigo Hank (Dean Norris), o qual é um agente da DEA (Órgão para o Controle/Combate das Drogas). Neste programa Walter vê um ex-aluno dele, Jesse Pinkman (Aaron Paul), fugindo da cena de um laboratório de metanfetamina.

Em um ato desesperado, o químico decide fabricar a melhor metanfetamina* do mercado. Para tanto, entra em contato com o ex-aluno para iniciarem os negócios.

* uma droga sintética mais poderosa que o crack

img-1016640-galeria-melhores-mortes-de-breaking-bad-capa.jpg

Walter começa a fabricar e Pinkman o auxilia na distribuição, no início encontram algumas dificuldades com traficantes locais, porém enfrentam o contratempo e se tornam chefões do narcotráfico, neste mercado White fica conhecido como ‘Heisenberg’.

Algo interessante é que com o passar dos capítulos o químico consegue nos levar do amor ao ódio, ele se torna a cada capítulo mais sombrio e cruel para alcançar seus objetivos, ele diz fazer tudo pela família, porém aos  poucos percebemos que ele está indo para o lado negro da “força”. Mas ainda assim torcemos para ele não ser descoberto, ele consegue ser carismático mesmo em meio a crueldades (e convenhamos muitas delas é para salvar sua pele e do parceiro).

walter_white2A cada temporada a série fica mais instigante (queremos saber onde Walter e Jesse irão chegar), ela tem a formula perfeito para ter deixar viciado (risos).

Brincadeiras a parte, ela conseguiu um personagem que antes era como eu e você, um cidadão comum e tedioso e que ao descobrir seu talento (nada convencional) conseguiu o poder que o transformou em uma pessoa totalmente egocêntrica, vaidosa e sem escrúpulos.

BITCH!

Seu contra ponto se torna seu parceiro um traficante peixe pequeno, viciado, uma “alma perdida” que ajudou Walter a entrar no mercado, ele dá humor á série com suas macandas. E aos poucos ele cresce ao lado do protagonista se tornando extremamente carismático e fazendo o caminho contrário de Walter, se tornando a consciência da dupla.


Por mais que eu tente estou aquém para falar da grandiosidade desta obra. Que passou longe dos clichês, manteve o ritmo e a sequência com um enredo grandioso e atuações excelentes. Para variar o mesmo nos brincou com um final surpreendentemente bem feito, para mim perfeito. (Me lembro que fui obrigada a dispor uma salva de palmas no final da trama).

breaking_bad_wallpaper.jpgEsperam que gostem da dica, me contem se já assitiram e quais são suas impressões sobre a sequência.

Até a próxima,

Luh.

Publicado em resenhas, Séries, Sem categoria | Marcado com , , , | 15 Comentários

Metas de leitura: A quinta onda + Filme

 

Baixar-Livro-A-5-Onda-Quinta-Onda-Vol-1-Rick-Yancey-em-PDF-ePub-e-Mobi-ou-ler-onlineTítulo: A 5ª Onda #1
Autor: Rick Yancey
Páginas: 368
Editora: Fundamento

Assunto:  Ficção científica , Aventura
Classificação: 3.5/5 

Depois da primeira onda, só restou a escuridão. Depois da segunda onda, somente os que tiveram sorte sobreviveram. Depois da terceira onda, somente os que não tiveram sorte sobreviveram. Depois da quarta onda, só há uma regra: não confie em ninguém. Agora A QUINTA ONDA está começando… Cassie está sozinha, fugindo dos Outros. Ela vive em uma Terra devastada, onde qualquer pessoa, até mesmo uma criança, pode ser o inimigo. Um inimigo que parece humano, que espreita em todos os lugares, pronto para aniquilar os últimos sobreviventes. Permanecer sozinha é permanecer viva – Cassie acredita nisso até encontrar Evan Walker. Mas será que ela pode confiar nele? Será que ele pode ajudá-la a resgatar o irmão? Chegou o momento em que Cassie deve escolher entre a esperança ou o desespero, entre enfrentar os Outros ou se render ao seu destino, entre a vida ou a morte. Entre desistir ou lutar!
_62

A quinta onda é minha meta de leitura de janeiro, aliás este mês me trouxe somente excelentes leituras. Hehehe \O/

Leituras mês de Janeiro: A 5° onda,  Cem anos de Solidão e O Penúltimo Capítulo

A quinta onda é escrito em 1° pessoa, sob o ponto de vista de vários personagens com personalidades e objetivos diferentes. A principal é Cassie, uma adolescente de 16 anos que nos conta como foi a chegada aos seus olhos. E o autor fez um ótimo trabalho pois através de suas dúvidas, medos e imaturidade (em alguns aspectos) realmente imaginamos uma garota com essa idade.

a-quinta-onda-crítica.jpg

Um trecho interessante foi quando ela descreveu as pessoas durante os ataques, no início algumas iam para parques, montanhas russas. Outros saqueavam casas, bares. Roubavam cerveja, bilhetes de loteria, dinheiro, joias. Mesmo em um mundo pré-apocalítico o ser humano ainda pretende tirar vantagens..

Cassie nos conta sua vida  antes e como mudou depois da chegada.

“Quando choro, quando me permito chorar, é por quem eu choro. Não choro por mim. Choro pela Cassie que se foi.
E me pergunto o que essa Cassie iria pensar a meu respeito.”

De repente uma nave surgi nos céus e quatro ondas devastam a raça humana.

E aquela garota comum, em sua nova realidade tem que lutar pela sua sobrevivência.  A nova regra é: atire primeiro, pergunte depois.

“Na 4ª onda, não se pode confiar que pessoas continuem sendo pessoas, mas se pode confiar que sua arma ainda é sua arma.”

Os outros estão entre nós. E não são como os “aliens de três olhos” que acompanhamos em “toy story” e tantos outros que observamos representados por aí. Esses são muito perigosos, sabem o que pensamos, como agimos e têm nossa aparência. Ela não pode confiar em ninguém: estar sozinha é estar viva. Na verdade, ela pode ser o último ser humano na terra.

40010-10

Uma gracinha. Hahaha

“Embora não goste de pensar que os Outros tenham exatamente a nossa aparência, falem como nós e sangrem como nós. Gosto de pensar no Outros como sendo… bem, outros.”

Cassie começa a rever seus conceitos após conhecer Evan Walker, um jovem misterioso e perigosamente charmoso que a salvou da morte e a protegeu.

Agora a maior preocupação da garota é resgatar seu irmão Sammy, que foi levado e cumprir sua promessa. Porém confiar e permitir que Evan a auxilie se torna um impasse, ela não sabe quem ele realmente é, mas sabe que ele esta mais preparado que ela. (Neste trecho acompanhei os pensamentos de Cassie e fiquei com vontade de gritar para ela o que eu achava da situação.)

A quinta onda está para acontecer, apenas um terço da população sobrevive e ninguém sabe o que esperar…

Será que Cassie conseguirá salvar Sammy? Onde ele está? Ela pode confiar em Evan? Qual será a quinta onda? O que os Outros planejam?

Muitas perguntas e as respostas se encontram nas páginas amareladas do livro.

Opinião:
A obra foi muito bem escrita e mesmo com vozes diferentes, a trama tem sequência e prende a atenção do leitor, que sempre fica á espera de algo. Aliás, o autor deixa várias pistas sobre o que é a quinta onda, mas não se engane logo a frente tudo pode cair por terra. O livro tem uma pitada de humor, mas a tensão e a ação (em algumas cenas) predominam. Os personagens conseguiram me cativar e despertaram meu interesse, afinal são pessoas normais que precisam mudar e se adaptar para sobreviver (além de muita sorte).

Sei que não contei muita coisa, mas a graça deste livro é descobrir cada onda e detalhe sozinho. E se deixar confundir entre os personagens, para saber qual deles esta correto.

Filme:

quinta-onda-sobre-sagas-2.jpg

Gostei do filme e especialmente da atriz que fez a Cassie (Chloë Grace Moretz), apesar de não imaginar a personagem tão bonita Hihihi. Porém o filme não conseguiu desenvolver todos os personagens e muitos destalhes ficaram de fora. Os efeitos são satisfatórios. Eu até o recomendo, mas devo dizer que o livro me trouxe mais emoção e realidade, achei o filme um tanto monótono.

 

Até mais,
Luh.

Publicado em Filmes, livros, Metas de leitura, resenhas, Sem categoria | Marcado com , , , , | 21 Comentários

O Penúltimo Capítulo – Clarice Pessato

IMG_201601realjpgTítulo: O Penúltimo Capítulo
Autor: Clarice Pessato
Páginas: 208
Editora: Imprensa Livre
Assunto: Autobiografia

Sinopse: Ao referir-se a capítulos, a autora faz uma alegoria como se a vida fosse um livro esperando um último capítulo com final feliz, Clarice, uma jovem de 18 anos, ativa e cheia sonhos, vê sua vida se transformar quando foi vítima de um acidente automobilístico que a deixou tetraplégica.
Ela conta a história da luta contra a tetraplegia e a discriminação e que, pela fé, venceu o sofrimento e a falta de respostas, recebendo a capacidade para superá-los. Também mostra como Deus pode usar até mesmo as experiências mais dolorosas de nossa vida a fim de levar-nos para mais perto dEle e executar seus propósitos através de nós.

Este livro para mim foi muito além de uma leitura, ele abriu meus olhos e mostrou que estamos sujeitos a muitas coisas e que não é porque hoje estou bem, que amanhã me encontrarei na mesma situação. Sempre trato meu próximo com respeito, mas nesta experiência consegui me colocar no lugar de Clarice, sentir um pouco do que ela sentiu e compreender que a integração deve partir de todos nós.

“Acreditava que não termos conhecimento e não sermos expostos a muitas situações evitava que muitas coisas ruins acontecessem conosco. É verdade que nesse tempo elas aconteciam menos, mas a razão de não terem acontecido conosco não é porque somos melhores.
Somos guardados de algumas situações e não sei explicar a razão disso, mas esquecemos que não é por mérito e nos julgamos melhores ou especiais e, com nosso padrão de julgamento, julgamos os outros. Como será quando formos julgados se a medida de julgamento for a mesma? E se o momento do julgamento for agora?” 

_62

A autora alterna momentos do seu passado com o presente, e assim conhecemos sua infância em Arvorezinha, ela sempre foi uma criança dedicada, com inteligência acima da média e que gostava de cuidar do seu lar.

“Eu gostava de estar em casa e aprender a cuidá-la também.”

Sobre a adolescência revela o sonho de querer se casar e ser uma mulher como sua mãe:

“Sonhava muito em me casar. Tinha até o modelo do vestido de noiva. E o véu? Eu o vi na capa de uma revista. Era longo e a noiva cobria o rosto com ele. O véu cobria o rosto porque no final da cerimônia do casamento o noivo o ergueria e daria um beijo na noiva e viveriam felizes para sempre!” 

Com 18 anos Clarice  passa em seu segundo vestibular e começa a estudar psicologia, tudo ia bem ela tinha um bom namorado, se dedicava aos estudos, sua família estava com uma boa situação financeira, tinha uma vida dentro dos “padrões”.

IMG_20160121_143824880

Porém em uma viajem para a faculdade (no dia 24/11/1981), na qual seu namorado Júlio estava dirigindo, de Arvorezinha para São Leopoldo, acontece o acidente entre dois caminhões e dois automóveis. Houveram muitos feridos, uma morte, e Clarice ficou em estado grave e permaneceu em estado de coma.

Seus pais que conseguiam poucas informações sobre o estado da filha, passaram por momentos de aflição e desespero. Algo que a autora deixa claro no livro é a falta de informação e cuidado de alguns médicos e profissionais da saúde com seu caso. A maioria das informações ela e a família conseguiram por conta própria.

“Alguém nas condições em que eu me encontrava precisa de muitas instruções para ter uma boa qualidade de vida, se não boa, a melhor possível. Mas isso não aconteceu. As poucas instruções que começamos a receber foram de outras pessoas de fora do hospital.”

Aos poucos Clarice se recupera do coma, porém o acidente de carro a deixa tetraplégica, a partir daí ela e sua família começam uma busca incessante pela cura. A jovem tinha certeza da cura, não iria ficar para sempre naquele estado.

Os anos passam e Clarice não alcança a recuperação esperada, sem demostrar não aceitava seu diagnóstico e por mais que tentasse se distrair e não pensar em sua atual situação, sempre se questionava sobre ela.

“Concordava que deveria ser grata por estar melhor do que muitas pessoas, porém havia muitas pessoas em melhor situação do que eu.”

02Progressivamente Clarice começa a entender seu propósito e aceitar sua nova realidade, o que a levou a tal compreensão foi a fé, onde conseguiu a aceitação e forças para continuar a jornada. Ela começa dando aulas dominical para crianças e faz observações belíssimas de como elas são despidas de qualquer preconceito, diferente dos adultos os quais muitas vezes demostravam desconforto com sua presença, uma passagem emocionante.

Muitas coisas começam a acontecer de forma inesperada em sua vida, começa a escrever para um jornal local, se corresponder com pessoas que precisam de uma palavra amiga, volta a estudar desta vez o curso de letras.

Sua vida se torna um exemplo para todos a sua volta, e ela retoma a escrita de sua autobiografia, trazendo uma mensagem bem maior que um final feliz, nos mostra que cada um pode escolher seu penúltimo capítulo, mas o verdeiro final será escrito por Deus.

Essas páginas irão te emocionar e levá-lo a refletir sobre sua vida, Clarice além de um exemplo de superação é um exemplo de fé. Nos mostra como Deus consegue mudar pessoas e situações. O livro marcou minha vida, me tirou do meu mundinho, me fazendo enxergar e compreender mais sobre o que acontece a minha volta.

Para saber mais sobre a autora e o livro:

Facebook Skoob  Blog

Espero que goste da dica, me conta sua impressão no comentários.

Até mais,

Luh.

Publicado em livros, resenhas | Marcado com , , , , | 11 Comentários

Dica de leitura: Cem anos de Solidão

Título: Cem anos de Solidão
Autor: Gabriel García Márquez
Páginas: 394
Editora: Record
Assunto: realismo mágico
Classificação: 5/5

Em Cem anos de solidão, Gabriel Garcia Márquez narra a incrível e triste história dos Buendía – a estirpe dos solitários para a qual não será dada uma segunda oportunidade sobre a terra. O livro também pode ser entendido como uma autêntica enciclopédia do imaginário.

Hoje vou dividir com vocês uma leitura que irá mexer com sua cabeça e seus pensamentos acerca da solidão. Através do realismo mágico de Gabriel Marques, depois de um bom tempo um livro me deixou com expectativas e sem saber o que esperar das páginas seguintes.


Cem anos de solidão nos conta a história da família Buendía, que tem como patriarca José Arcádio Buendía fundador de Macondo, uma cidade (aldeia) fictícia. José Arcádio  casou-se com Úrsula e o casal decide deixar o povoado onde viviam, entre os motivos estava o fato de Úrsula ser prima de seu marido e muitos afirmavam que desta união poderiam nascer aberrações – como crianças com rabo de porco. E após 26 meses de travessia da serra em busca de uma saída para o mar, frustada, fundaram Macondo.

“a aldeia mais arrumada e laboriosa que qualquer outra que seus habitantes tivessem conhecido. Era de verdade uma aldeia feliz, onde ninguém tinha mais de trinta anos e onde ninguém tinha morrido”.

Úrsula gerou três filhos:  José Arcádio, Aureliano, que contrasta interiormente com o irmão mais velho, e Amaranta. O casal também criou Rebeca, que foi enviada de forma misteriosa da antiga aldeia, sem pai nem mãe. Essa é a base da família que cresce de forma assustadora durante a obra. Um personagem recorrente, que não é membro da família, mas que sofre com o mesmo mal que assola os Buendía: a solidão, é o cigano Melquíades, grande amigo de José Arcádio, que o apresentou a magia e a ciência.

cigano Melquíades

Um fato interessante é a repetição dos nomes durante as gerações (inclusive das mulheres), são tantos  José Arcádios e Aurelianos que em certo ponto pode causar uma confusão, deixando o leitor sem saber sobre qual personagem se refere. A confusão fica maior pelo fato de personagens com o mesmo nome herdarem o mesmo gênio. Durante a leitura aos poucos percebemos que o livro é cíclico, além da personalidade dos personagens se repetir, personagens citados no início da trama retornam de forma surpreendente.

Árvore genealógica da família Buendía

Cem anos de solidão traz grandes histórias e isso é o posso lhes contar, sobre as 7 gerações dos Buendía. A trama que tem como pano de fundo o povoado, que assim como a família teve seus anos de glória, mas também de decadência e guerra, foi o local onde os Buendía viveram até o último da estirpe. Superando doenças, forte calor e chuvas intensas.

16 - Quatro anos de chuva ininterrupta em Macondo

“E choveu por quatro anos, onze meses e dois dias”.

“Viu com uma impotência surda como o dilúvio fora exterminando sem misericórdia uma fortuna que em certa época era tida como a maior e mais sólida de Macondo e da qual não restava nada a não ser o mau cheiro.”

Vale dizer que o livro aguça nosso imaginário nos mostrando situações inimagináveis como o fato  que desde a fundação, durante muitos anos ninguém morrer em Macondo; uma mulher ascender aos céus literalmente (um dos trechos que me marcou e surpreendeu), conversas com fantasmas, os membros do povoado contraírem a peste da insônia (uma doença que os deixava sem dormi), um pergaminho indecifrável, o uso da alquimia e a busca pela pedra filosofal. Entre outros fatos estranhos à realidade.

Meme Buendía, Maurício Babilônia e as misteriosas borboletas amarelas.

Preciso compartilhar que a maioria dos Buendía a meu ver eram bem “calientes”, presenciamos homens com sexo avantajado, prostitutas e amantes com frequência. A trama é rica, representa vários tipos de pessoas da puta á santa, do louco ao mago.

Cem anos de solidão (GGMarquez) Jose Arcádio volta todo tatuado - Por Carybé:

Jose Arcádio volta tatuado

A obra não é muito grande, porém é muito densa, viva, tudo acontece muito rápido e é perneada de detalhes que a enriquecem. A linguagem não é difícil à leitura flui, porém de uma forma mais lenta (a meu ver) pelo fato de muita coisa acontecer desde as primeiras páginas. Para ser sincera do início ao meio eu simplesmente amei o livro, do meio para o fim ele foi satisfatório talvez por me cansar um pouco de uma obra tão intensa, mas que ainda assim me despertava grande interesse eu ia dormi pensando nos Buendía e acordava um tanto agitada para saber o que mais aconteceria com personagem X ou Y, ele nos conta várias histórias em paralelo, de modo que a leitura fica bem amarada sempre deixando uma curiosidade no leitor. Quanto ao final, posso dizer que foi um dos melhores desfechos, eu fiquei surpresa, e não consigo imaginar um melhor. O livro todo é excelente, mas se ainda não fosse, só o seu fim vale muito a pena.

(…) “Porém, antes de chegar ao verso final já havia compreendido que não sairia jamais daquele quarto, pois estava previsto que a cidade dos espelhos (ou das miragens) seria arrasada pelo vento e desterrada da memória dos homens no instante em que Aureliano Babilônia acabasse de decifrar os pergaminhos, e que tudo estava escrito neles era irrepetível desde sempre e para sempre, porque as estirpes condenadas a cem anos de solidão não tinham uma segunda chance sobre a terra.”

Espero que gostem da dica. :))

Até mais.

Luh.

Publicado em livros, resenhas | Marcado com , , , , | 36 Comentários

Invocação do Mal 2 – Trailer + Favoritos – filmes de Terror (atuais)

Olá galera,

Hoje trago um post um pouco diferente, queria fazê-lo a um bom tempo, porém estava esperando o momento certo, nesta semana no dia 7 saiu o trailer da parte 2 do filme invocação do mal,  e como eu curti muito o primeiro achei justo fazer um post especial para dividir com vocês essa notícia . Eu amo filmes de terror, não os assisto  com a pretensão de ficar assustada, mas confesso que os abaixo me deixaram com um medinho (sabe quando evita ir no banheiro sozinha de madrugada, porque a casa está escura? Hahaha)  vamos deixar de conversa e se você gosta de levar uns sustos e, principalmente, sentir uns arrepios venha comigo!

PS.: Invocação do mal 2 estreia em 9 de junho nos cinemas. Confiram o trailer:

O thriller sobrenatural “Invocação do Mal 2” traz para as telas outro caso real dos renomados demonologistas Ed e Lorraine Warren. Reprisando seus papéis, a indicada ao Oscar Vera Farmiga e Patrick Wilson estrelam como Lorraine e Ed Warren, que, em uma de suas mais assustadoras investigações paranormais, viajam ao norte de Londres para ajudar uma mãe solteira que mora com seus quatro filhos em uma casa assombrada por espíritos malignos.

 

5 Favoritos – filmes de Terror (atuais)

O Mistério das Duas Irmãs5. O mistério das duas irmãs – 2009

Este é um daqueles filmes que mexem com a cabeça da gente, sabe quando no final nada é como você imaginava?? (Amo este tipo de filme se souber de algum assim me indica nos comentários 😉 ) Ele não vai te deixar com medo, mas ele desenrola muito bem e o final vai te deixar chocado. 😱

Após sua mãe morrer em um incêndio, a jovem Anna (Emily Browning) tenta o suicídio. Como resultado, vai parar em uma clínica para tratamento. Dez meses depois, Anna continua sem lembrar o que aconteceu na noite em que a mãe morreu. Apesar disto, o dr. Silberling (Dean Paul Gibson) resolve lhe dar alta. Anna é então levada de volta para casa por seu pai, Steven (David Strathairn), um escritor de sucesso. Lá ela encontra Rachel Summers (Elizabeth Banks), a enfermeira de sua mãe, como sua madrasta e também sua irmã, Alex (Arielle Kebbel). Logo Anna passa a ser assombrada por fantasmas, que a fazem acreditar que Rachel matou sua mãe.

 

Mama4. MAMA – 2013

Mama me chamou a atenção por ter um enredo diferente dos que estamos acostumados a ver por aí, e pelas encantadoras pequeninas que merecem destaque, por serem lindas e assustadoras ao mesmo tempo. Apesar do final não me agradar muito o filme é bem interessante e merece estar na lista.

Quando o pai de Victoria e Lilly mata a mãe das garotas, as crianças fogem assustadas para uma floresta. Durante cinco anos, ninguém tem notícia do paradeiro delas, até o dia em que elas reaparecerem, sem explicarem como sobreviveram sozinhas. Os tios das duas, Lucas (Nikolaj Coster-Waldau) e Annabel (Jessica Chastain) adotam Victoria e Lilly e tentam dar uma vida tranquila às duas, mas logo eles percebem que existe algo errado. As duas conversam frequentemente com uma entidade invisível, que chamam de “Mama”. Lucas e Annabel não sabem se acreditam nas meninas, ou se devem culpá-las pelos estranhos acontecimentos na casa.

 

Possessão3. POSSESSÃO – 2012

Como o nome do filme já diz o filme se trata de uma possessão, logo irá acontecer um exorcismo, então se você esta cansado deste tipo de filme não assista! Porque ele têm muitos clichês e não inova muito (sim, apesar disto eu gostei 😅) Possessão é um filme interessante e que conta com uns com efeitos especiais bem legais, e algumas cenas de arrepiar, por exemplo a cena “goela abaixo”, mesmo tendo sido exibida no trailer ainda impressiona.

Clyde (Jeffrey Dean Morgan) e Stephanie Brenek (Kyra Sedgwick) estão separados, mas conseguem se relacionar para o bem das duas filhas do casal. Quando ele compra uma casa nova, sua filha mais nova Em (Natasha Calis) o convence a comprar algumas coisas para lá, entre elas, uma caixa de madeira muito bem trabalhada e ao mesmo tempo misteriosa, que não se pode abrir. Encantanda pelo artefato, a jovem descobre como se abre, passa a ouvir vozes e, em seguida, estranhos acontecimentos começam a acontecer na casa. Desconfiado do comportamento da caçula, totalmente diferente, ele conversa com a ex que não dá ouvidos e eles começam uma nova crise. Quando a mãe se dá conta de que ele falava a verdade, já é tarde demais, pois a jovem está possuída por um espírito do mal, que se alimenta de seus hospedeiros. O pai começa a investigar e descobre que a raiz do problema em uma lenda judaica sobre um espírito Dybbuk. Começa então uma corrida contra o tempo para salvá-la e um exorcismo pode ser a  solução.

 

2.  DEIXE ME ENTRAR – 2011Deixe-me Entrar

Este é um filme o qual você não ira apenas se assustar, na verdade ele é mais um drama ou amor bandido que terror em si (talvez por isso não o coloquei como o primeiro), mas também se enquadra neste gênero. Vai tratar de assuntos como o bullying e cumplicidade (talvez amor). Ele  aborda o tema vampirismo sem cair no clichê, apresentando um bom roteiro,  representado pelo desejo de ser amado e de beber sangue.

Owen (Kodi Smit-McPhee) é um garoto solitário, que vive com a mãe e é sempre provocado pelos valentões da escola. Um dia ele conhece, perto de sua casa, Abby (Chloe Moretz). Sempre nas sombras, ela aos poucos de aproxima de Owen e logo se tornam amigos. Só que Abby possui um segredo: ela é muito mais velha que sua aparência indica e necessita de sangue para sobreviver. Para consegui-lo, seu acompanhante (Richard Jenkins) realiza assassinatos na surdina, de forma a retirar o sangue das vítimas e levá-lo para Abby.

 

Invocação do Mal1. INVOCAÇÃO DO MAL – 2013

Esse é um dos melhores filmes de terror atual na minha opinião, ele têm muitos clichês do gênero, porém são bem utilizados e na dose certa. Além da  história ser muito boa e coerente confiram:

Ed e Lorraine Warren (Patrick Wilson e Vera Farmiga) famosos investigadores de casos sobrenaturais, que existiram realmente e esse filme é baseado em um de seus vários casos, que acabam de dar uma palestra sobre o sinistro caso da boneca Anabelle (sim aqui foi a primeira aparição da boneca no cinema e o que me fez ir assistir ao filme da personagem), aqui visualmente mais demoníaca que a original. Enquanto isso, Carolyn e Roger Perron (Lili Taylor e Ron Livingston) se mudam com as cinco filhas para uma casa nova em Harrisville, Estados Unidos. Chegando lá, a cadela deles se recusa a entrar, mas eles ignoram o “aviso”. Até o momento em que duas das filhas começam a relatar que estão “vendo coisas” e estranhos hematomas vão surgindo no corpo da mãe. Certa de que alguma coisa ruim está rolando e pode piorar, ela entra em contato com os paranormais famosos, que após uma visita ao local, descobrem que algo muito poderoso e do mal reside ali. Agora, eles precisam descobrir o que é e o porquê daquilo tudo acontecendo com os membros daquela família. É quando o passado começa a revelar uma entidade demoníaca querendo continuar sua trajetória de maldades.

É isso galera, lembrando que esta lista é baseada apenas na minha opinião, uma cidadã comum que gosta de assistir filmes Hahaha. E vocês gostam do gênero? Já assistiram a algum dos citados? Se sim, qual seu filme favorito? Se não, qual tipo de filme mais gostam? Esperam que gostem deste post diferente.

Beijos da Luh. 🙂

Publicado em Filmes, Top 5 | Marcado com , | 24 Comentários

(Des)Encontro Perfeito

Após um tempinho distante estou voltando e cheia de ideias e espero colocar em prática algumas delas Hehehe. Uma tem haver com o espaço vitrolas que está meio abandonadinho, pretendo fazer uma sequência de post’s inspirados em um livro sobre bandas e entrevistas (espero em breve conseguir compartilhar com vocês). Outra é sobre meus vinte e dois aninhos, bem estou pensando seriamente em fazer um daqueles projetos “30 antes dos 30” só que na versão “o que pretendo fazer durante meus ✌✌” (aceito dicas). Porque celebro meu dia na data 22/01 e na minha opinião essa idade vai ser um marco para realmente me tornar uma “adulta” (ou algo parecido). Logo, o projeto serve para fazer definitivamente tudo o que com o tempo será muito crazy praticar (ou não) kkk. Enfim, até lá conto mais a vocês.

Hoje pretendo falar mesmo sobre um filme que assisti com minha “estimada” irmã, estávamos à procura de um filme qualquer em um dia de tédio, o qual estamos sem muitas esperanças. O que gerou um resultado inevitável:

Mulheres sozinhas + Tédio  + Brigadeiro  = Comédia romântica

Clicamos no primeiro filme do gênero do site sem grandes expectativas. Assim presenciamos o início de uma estranha história que amor, que nos rendeu muitas risadas.

Man_Up_(film)_poster

Lançamento: 18 novembro 2015
Duração: 1h 28m
Direção: Ben Palmer
Gênero: Comédia , Romance
Nacionalidade: Reino Unido
Classificação: 5/ 5

Sinopse: Nancy (Lake Bell) tem 34 anos de idade e leva uma vida fracassada no amor. Quando ela viaja a Londres para o aniversário de casamento de seus pais, conhece Jack (Simon Pegg), que confunde Nancy com a garota que ele está esperando para um encontro às cegas. Sem desfazer a confusão, Nancy assume a identidade da garota que Jack esperava, e passa uma ótima noite ao lado do pretendente. Mas uma hora a mentira vai ser descoberta… 


Para começar já adorei a Nancy (Lake Bell) uma mulher com seus trinta e poucos, jornalista solteirona do tipo que prefere ver um bom filme a ir a uma festa (alguém se identifica?? ☝☝) e que faz teorias sobre sexo, amor e relacionamentos.

MU_web_2.jpg

Segundo seus parentes por estar na “zona do perigo” idade que a mulher corre o risco de ficar para titia ( eu escrevi mesmo isso??) ela precisava se enturmar mais, “sair da concha”, se arriscar. Eis que em um dia nada propício, era aniversário de casamento de seus pais, ela decide ao acaso fingir que é uma garota de 24 anos, triatleta e bem sucedida, por estar no local certo na hora certa (será??).

Man Up movie meme simon pegg lake bell (1)Para entenderam melhor  Jack (Simon Pegg) havia marcado um encontro com a “mulher maravilha” citada e para se reconhecerem ela deveria estar embaixo do relógio com um livro de auto ajuda na mão. E quem passou pelo relógio com o tal livro antes da garota?  Isso mesmo, Nancy! Para entenderem como ela conseguiu o tal livro confiram no filme. kkk

manup-02-adjusted-700x394

Nancy, fingindo ser a outra passou momentos hilariantes e inesquecíveis com Jack, que aliás, também tinha uma vida amorosa complicada. Tudo estava indo bem até ele descobrir que ela não era a “garota certa” e tudo ir por água abaixo. Se pretende se divertir, pode acompanhar o restante deste dia maluco sem medo, garanto que vai se apaixonar pelo casal.

É isso pessoal, espero que gostem da dica.

Bjuss, Luh.

Publicado em Filmes, resenhas | Marcado com , , , , , , | 22 Comentários